top of page

CORANTES NATURAIS

Altecsa WEB 2021 Artículos-09.png

Nos últimos anos o mercado sofreu uma alteração com uma tendência para o consumo de produtos de origem natural, tendência é observada principalmente em algumas categorias, como produtos para crianças, como confeitaria, bebidas e snacks. Esse comportamento foi influenciado por uma possível atribuição de que os corantes sintéticos poderiam ter um efeito sobre a hiperatividade em crianças; essa influência ganhou relevância em 2007 com a publicação do estudo de Southampton (McCann et al, 2007). Essa tendência tem incentivado os fabricantes de alimentos a buscarem o uso de corantes naturais, o que representa um desafio para os fabricantes de corantes naturais, que para atingir a tonalidade e a estabilidade que o produto exige têm diversas possibilidades, das quais algumas das mais importantes são mencionadas em seguida:

Urucum: É outro corante alimentar amarelo. É obtido a partir das sementes da Bixa orellana. Os pigmentos que produz variam do amarelo ao alaranjado. Bixina e norbixina, componentes que dão cor ao urucum.

 

Antocianinas: Por exemplo, o suco de cenoura preta que produz uma tonalidade de rosa brilhante a vermelha e o extrato de uva que confere uma cor púrpura avermelhada às bebidas.

 

Beta-caroteno: é um precursor da vitamina A, além de desenvolver uma cor amarela alaranjada nos alimentos. É derivado de alguns tipos de algas ou obtido por síntese em laboratório, na forma natural encontra-se principalmente na cenoura, no óleo de palma e em muitos outros vegetais e frutas.

 

Betanina: Vem da extração e purificação do suco de beterraba, confere uma cor vermelha-azulada, devido ao composto conhecido como betanina. Não há limite para seu nível de uso.

 

Carmim / cochonilha: Extrato do inseto Dactylopius coccus. Produz uma tonalidade vermelha magenta, presente no carmim e no extrato de cochonilha. Ao contrário das cores derivadas de fontes vegetais. O carmim geralmente não é estável em alimentos ácidos, a menos que um produto de especialidade de tecnologia seja usado.

 

Cúrcuma: Corante amarelo brilhante obtido das raízes da planta Curcuma longa L. Os pigmentos responsáveis ​​pela cor são conhecidos como curcuminóides.

 

Óleo-resina de páprica: É extraída dos pimentões doces de Capsicum annum.

Esta combinação produz uma tonalidade de laranja brilhante a laranja avermelhada nos alimentos.

 

Existem outras fontes naturais amplamente utilizadas na indústria, mas devido a estudos recentes, a inclusão desses ingredientes nas formulações dos fabricantes está sendo evitada, apesar de permitida por lei. Por exemplo: a cor caramelo que se obtém da caramelização de açúcares e Dióxido de Titânio: Mineral de aspecto opaco. Existem duas versões: dispersíveis em água ou em óleo. A FDA limita seu uso em produtos alimentícios a 1% por peso.

bottom of page